05/04/10

não saberás quem



não saberás quem pronunciará o teu nome
quando o caminho desejado for por todos desconhecido
seguirás, extraindo dos abismos as gargalhadas
tua loucura misturando-se com a tarde
e na montanha em forma de crânio - belvedere de gritos
os teus outros eus, elevados
anunciarão a morte do silêncio.


camila vardarac