07/04/10

SANGRE MATER




Nos rostos pasta d'água
nos olhos marcas negras
representam o início e o fim.

Palco italiano - Ato I

mãe evoca o filho
com um rasgo de luz na boca
diz: - perpetuai a nossa espécie!

luz dura nas têmporas do filho
com uma espada imponente na cintura
diz: - jamais cometeria esse mal.

(o olhar do filho segue as costas da mãe,
ela dirige-se à janela. o filho sai)

Campo de batalha - Ato II


filho convoca o inimigo
com a arma afiada para o corte
diz: - serei eu teu salvador?

o inimigo não clama piedade
mas com a mão agarrada à terra
diz: - nenhum mal será minha redenção.

(o filho degola o inimigo e beija-lhe a testa)

Palco italiano - Ato III

pai evoca o filho
com desconfiança na farda e passos limpos
diz: - seria tua mãe capaz de seguir as leis da traição?

o filho põe-se diante do pai
com sarcasmo na voz e a farda suja
diz: - acredito na justiça.

(o pai dirige-se à janela e o filho sai)

Campo de batalha - Ato IV

a morte evoca o inimigo
para que ele seja instrumento da sua vontade
o inimigo convoca o filho
para que nas suas mãos ele pague por seus pecados
ao redor os cavalos agonizam
ao redor os corpos já não sabem a dor.

inimigo diz:

- diga-me tu,
assassino do meu irmão,
onde quer que eu lhe beije?

filho diz:

- beije-me a testa e eu e o teu irmão
nos encontraremos no mesmo lugar,
teria meu assassino o nome de meu pai?
atenderia por Mephisto,
a sombra que te persegue em silêncio?
inimigo diz:


- achas, que neste instante decisivo
as tuas dúvidas serão sanadas?

achas, que no auge do meu poder
eu lhe concederia tal alívio?


filho diz:


- ao contrário do teu irmão, eu clamarei piedade!
e eu, na tua posição, nem sequer perguntei o nome daquele corajoso homem!
certamente não te importas com o meu, qualquer resquício de afeto seria um risco
para o desfecho natural desta tragédia, não concordas? diga-me!

o arquétipo da morte consome o filho

mas antes o filho é consumido pelo sangue
mas antes o filho pensa pela última vez na mãe
e o inimigo não lhe beija a testa. 


camila vardarac