03/06/10

o pássaro abstrato

tem um olho em cada asa, o estômago colado às costas e nos pulmões bicos abertos que entoam a fome. essa fome não é exata, por isso, insaciável. qualquer tentativa de entender a sua causa - é inútil - o real manifestar-se contra a vociferação do intangível com duas mãos significantes, entre os dez dedos facilmente escapa o obscuro eco.