15/06/10

tivesse ido com o passaredo


Falo do esquecimento porque a eternidade é uma casa vazia e não me apetece habitá-la. por muito tempo meus dias foram infinitos até que, acompanhando com os olhos o trajeto dos pássaros, ouvi um disparo ao fundo, um disparate do destino do outro lado da parede, alguém morreu e achei tão fascinante que não consegui escrever sobre isso sem morrer também. antes tivesse ido com o passaredo, passaria menos mal, embora o céu mais próximo. minha condição é tão humana quanto meus pés no chão, terrível, nas subdivisões do cérebro meus pensamentos criam esquemas ilícitos, de fuga.