01/12/10

IN NOMINE LIBERTATIS

IN NOMINE LIBERTATIS

Si es verdad que el rencor
desgasta y envejece lentamente
con su rumor callado de piedra de molino
apuesto por ser joven ahora y siempre.

Mi casa está vacía
de chivos expiatorios y culpables.
Acumulo tan sólo
el valor necesario para seguir viviendo
bajo la protección de la alegría.

No me he inclinado nunca por el ánimo fácil
de tomar y obligar. Incluso lo pequeño
se me ha antojado siempre un mecanismo frágil
con más de una respuesta.

En mi alcoba no reinan
prohibiciones ni leyes. Mi palabra
es un patio sin llave
donde es bien recibido quien aprecie
la sombra de una higuera y un vaso de buen vino.

No frecuento los presos ni los jueces.
Sentencias y dictámenes les dejo
a aquellos que no dudan. Yo sólo estoy segura
que amo la libertad y sus orillas.

Cuando falte, buscadme entre las alas
de un pájaro que escapa del invierno.
Con las manos vacías se hace mejor camino.
No me pesan los créditos. En este mundo nuestro
toda deuda es de juego.

Raquel Lanseros


IN NOMINE LIBERTATIS


Se for verdade que o rancor
desgasta e envelhece lentamente
com o seu rumor calado de pedra de moinho
aposto em ser jovem agora e sempre.

A minha casa está vazia
de bodes expiatórios e culpados.
Acumulo apenas
o valor necessário para continuar a viver
sob a protecção da alegria.

Nunca me inclinei para o fácil fôlego
de adquirir e obrigar. Mesmo a miudeza
desperta sempre em mim um mecanismo frágil
com mais de uma resposta.

Em minha alcova não reinam
proibições nem leis. A minha palavra
é um pátio sem chave
onde é bem recebido quem aprecie
a sombra de uma figueira e um copo de bom vinho.

Não frequento presos nem juízes.
Deixo sentenças e ditames
àqueles que não duvidam. Eu só tenho a certeza
que amo a liberdade e as suas margens.

Quando não aparecer, procurem-me entre as asas
de um pássaro que escapa do inverno.
Com as mãos vazias caminha-se melhor.
Não me pesam os empréstimos. Neste nosso mundo
toda a dívida se contrai no jogo.